Imprimir esta página

Culto na Ilha de Villegagnon marca as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante
Destaque

15 Setembro 2017
Author :  

Encerrando as comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante, foi realizado neste sábado, 28 de outubro, um culto na Ilha de Villegagnon, no auditório da Escola Naval, no Rio de Janeiro, local do primeiro culto protestante realizado no Brasil em 10 de março de 1557.

A ideia de recriar a encenação do primeiro culto, foi do pastor Isael Araújo, historiador e chefe do Centro de Estudos do Movimento Pentecostal (CEMP), da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD). O evento, promovido pela CPAD, em parceria com a CGADB, foi um momento especial para todos aqueles que estiveram presentes e puderam vivenciar os primeiros passos do protestantismo em terras brasileiras.

Na entrada, os convidados foram recepcionados por funcionários da CPAD, vestidos a caráter, com roupas da época em que os primeiros protestantes chegaram ao Rio de Janeiro; e também com um café da manhã. Após a recepção, todos foram conduzidos ao Auditório Almirante Serpa para o início da programação.

O auditório da Escola Naval ficou lotado. Pastores, líderes e centenas de membros das Assembleias de Deus no Rio de Janeiro, e também de diversas denominações, estiveram presentes ao local para vivenciar momentos da história do Evangelho em terras brasileiras. Um dos pontos interessantes, foi a presença de muitos jovens no local; jovens empolgados e curiosos pela história da Igreja Brasileira.

O mestre de cerimônia, pastor Claudionor de Andrade, consultor doutrinário e teológico da CPAD, iniciou a celebração explicando a importância do evento para a igreja brasileira. "Estamos aqui para celebrar os 500 anos da Reforma Protestante, comemorada em 31 de outubro, e também a realização do primeiro culto protestante realizado no Brasil. A partir de agora, este auditório passa a ser a Casa de Deus. Vamos celebrar e adorar ao Único que é digno de adoração e louvor". Na sequência, o pastor Paulo de Carvalho, presidente da Ceader, fez a oração inicial.

Diversos representantes da mídia carioca estiveram no local para fazer a cobertura do evento, entre elas, a equipe de jornalismo da Rede Globo de Televisão. Na abertura do evento, a Banda da Escola Naval da Marinha do Brasil executou o Hino Nacional Brasileiro e o Hino Nacional da França. Em seguida, a apresentação do vídeo Rio 450 Anos que mostrou um pouco da história da Cidade Maravilhosa, com o início da colonização.

A história do primeiro culto protestante nas Américas e dos primeiros mártires evangélicos foi apresentado por um jogral formado por funcionários da Casa Publicadora. Durante o jogral, a participação dos cantores Patrícia Monção e Alessandro Carvalho Rocha, acompanhados da Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais, sob a regência do maestro Ronaldo de Almeida, major músico da Polícia Militar.

A primeira canção executada foi o Salmo 5, que faz parte do Saltério Genebrino. Os cantores entoaram ainda a canção “Castelo Forte", hino oficial da Reforma Protestante, composto por Martinho Lutero. A mensagem da manhã foi ministrada pelo pastor Esequias Soares, presidente da Comissão de Apologética da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). Baseado na epístola de Paulo aos Romanos 1.16-17, ele falou sobre a fé que nos move. O pastor explicou sobre a importância desse texto para os cristãos e sobre a importância dos primeiros reformadores. "Havia uma angústia muito grande das pessoas que queriam servir a Deus, mas tudo o que eles faziam , parecia não ser suficiente (referindo-se às práticas que eram adotadas pela Igreja Católica), como penitências, sacrifícios e salvação pelas obras”.

O pastor fez uma explanação dos fatos que marcam a história da Reforma Protestante, inclusive o momento em que Martinho Lutero descobre o verdadeiro significado do termo "o justo viverá pela fé". “Martinho Lutero negou a eficácia das indulgências e q ideia de que a salvação é adquirida por méritos próprios. Esse conjunto de pensamentos não tem fundamentação bíblica. O único mérito é do Nosso Senhor Jesus Cristo".

Logo em seguida, todos os presentes adoraram a Deus com o louvor "Tu és fiel, Senhor". O louvor foi conduzido pelos cantores Alessandro Carvalho Rocha e Patrícia Monção, acompanhados da Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais.

Representando a CGADB e o Conselho Administrativo da CPAD, o pastor Kemuel Sotero Pinheiro, 1º vice-presidente do Conselho Administrativo da CPAD, falou sobre a parábola de Jesus, registrada no livro de Marcos 4.26-29. O pastor destacou a realização do primeiro culto em território brasileiro “onde foi plantada a primeira semente”. "São 460 anos. O tempo passou, mas o tempo de Deus chegou e o Evangelho foi propagado. A semente pentecostal foi plantada. E hoje, aqui estamos, milhões de brasileiros, de todas as classes sociais, de todas as denominações, que se convergem para uma mesma verdade: a salvação é pela graça”, destacou o pastor.

A cantora Patrícia Monção finalizou a primeira etapa da programação entoando o louvor “Meu tributo”. Na sequência, o prefeito Marcelo Crivella falou da alegria de participar do evento, da importância da comemoração, e saudou a todos os presentes. "Estamos aqui hoje para celebrar o início da nossa fé que foi plantada neste local pelos nossos irmãos que morreram pelo Evangelho. Foi com sacrifício que os mártires da Ilha de Villegagnon nos legaram a fé que temos hoje. Eu celebro com vocês esses momentos que estamos vivendo aqui hoje, e glorifico a Deus pela história que a igreja brasileira vem escrevendo ao longo desses anos”.

Ronaldo Rodrigues de Souza, diretor executivo da CPAD, fez os agradecimentos finais a todas as autoridades presentes e convidados, entre eles, o Contra-Almirante, Newton de Almeida Costa Neto, comandante da Escola Naval, que cedeu o espaço para a realização do evento. O diretor agradeceu ainda a presença do prefeito Marcelo Crivella, do deputado Arolde de Oliveira, e do vereador Otoni de Paula Júnior; ao pastor Kemuel Sotero e a todos os pastores presentes, destacando a presença dos pastores, Rolf Rieck e Jonas Flor, representando a Igreja Luterana.

A oração final foi conduzida pelo pastor Rolf Rieck. Em sua palavra, o pastor da Igreja Luterana do Rio de Janeiro, destacou a participação e o envolvimento da igreja brasileira neste momento histórico que está sendo celebrado em todo o mundo. “Estes 500 anos da Reforma Luterana ou da Reforma da Igreja, propriamente dita, está unindo não só a religião, mas toda a transformação que isso trouxe para o mundo todo. Nós nos sentimos honrados em participar, junto com a Assembleia de Deus e outras denominações”, enfatizou o pastor Rolf, parabenizando às Assembleias de Deus e a CPAD pela iniciativa.

A bênção apostólica foi impetrada pelo pastor Eliseu Alves Gomes Cardoso, presidente da Ceaderj. Todos os presentes foram encaminhados ao Monumento dos Protestantes no lado norte da fortaleza, onde foi feito um clamor pela Cidade do Rio de Janeiro, pelo Estado e pelo Brasil. E juntos com o pastor Otoni de Paula, foi entoado o hino 525 da Harpa cristã. Ao final, todos os presentes receberam como lembrança um marcador de Bíblias e dois exemplares de revistas comemorativas contando a história dos 500 Anos da reforma e as 95 teses de Martinho Lutero.

Fonte: CPAD News

 

  • Social network: